Um poema para o Tempo

Nosso amigo Pedro Teixeira enviou este poema logo depois da abertura da nossa exposição em janeiro de 2012:

Teria afinal o tempo, alguma relação com o vento?
Não adianta tentar racionalizar o tempo….Ele é um sopro!
Entre ventos
vi o tempo passar…
era um tempo diferente, que passava na parede,
Não havia contratempos.
Na verdade, era o velho tempo que modificado,
se apresentava agora, em três tempos.
Vi um outro tempo, agora fragmentado.
É o desejo das horas, que faz movimentar o tempo ?
Um banco vazio, ainda ecoa dentro de mim! Aonde estão os caminhos?
***
Maravilha Pedro!

Sopro, video em 3 canais

Comments are closed.

®2011-2017
Isabel Löfgren & Patricia Gouvêa